A Dor pode ser a Ponta de um Iceberg

A Neuroevidência convida para uma breve reflexão do conceito saúde

A idéia de saúde em nossa sociedade está depositada sob o formato de um corpo livre de doenças aparentes, sendo o médico o principal agente perpetuador  desse processo. Entretanto, segundo a própria Organização Mundial de Saúde (OMS), este não é o conceito real de um ser humano saudável. Para que o indivíduo seja considerado plenamente saudável é necessário que o mesmo esteja em harmonia consigo e com meio que o cerca.

Pensando em traduzir o conceito de saúde em algo mais mensurável, a mesma OMS criou um instrumento (WHOQOL- 100) que traduz o estado de qualidade de vida do ser humano – meio que o cerca – baseado em seis domínios: O primeiro, é o físico, que abrange num plano inicial a dor e o desconforto. Em seguida o domínio psicológico; logo o domínio do nível de independência do indivíduo; em quarto lugar o domínio das relações sociais do indivíduo; em quinto o domínio dos ambientes que este ser humano participa; e por fim os aspectos espirituais, como religião e crenças pessoais. Somente a perfeita harmonia entre esses domínios resulta na saúde plena, um retrato de difícil concepção se levarmos em consideração o mundo que vivemos.

Sendo assim é possível constatar que, segundo a própria OMS, a dor também pode ser uma manifestação de alguma falha na harmonia entre os domínios sugeridos. De qualquer forma é imprescindível diagnosticar essa dor para entender o verdadeiro causador do problema. O diagnóstico é o porquê da existência da Neuroevidência. Desde sua origem ela foca sua atividade no auxílio à contribuir para o diagnóstico. Possuidor desta valiosa informação nossos profissionais e colaboradores investem sua melhor experiência para auxiliar no retorno à saúde através de tratamentos personalizados e assumidos inter e multidisciplinarmente.