13 de outubro: Dia Nacional do Fisioterapeuta

Nessa data a Neuroevidência parabeniza todos os profissionais em fisioterapia e exemplifica a importância deste especialista

No dia 13 de outubro de 1969 foi aprovado o decreto de Lei Nacional Brasileira nº 938, responsável pela regulamentação dos direitos do profissional de fisioterapia. Conforme o próprio artigo 3º da lei, o profissional de nível superior é responsável por “executar métodos e técnicas fisioterápicos com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do ciente”.

No longínquo ano de 1969, o decreto de lei trouxe um grau de responsabilidade exclusivo para os fisioterapeutas no intuito de qualificar a profissão. Entretanto, com o passar dos anos a saúde do ser humano se mostra cada vez mais interdependente da ação conjunta de diferentes especialidades na busca pelo bem estar do ser humano. Conforme o fisioterapeuta Sandro Groisman, da clínica Relicário, a parceria entre médico e fisioterapeuta é fundamental desde o diagnóstico até o tratamento do paciente. “É uma prática nova que significa mais do que encaminhar um paciente, o trabalho é feito em parceria, é muito vantajoso e traz benefícios para o paciente e para os profissionais que se envolvem no tratamento.  Não tem mais espaço para especialidades desconectadas, o ser humano é um sistema de várias funções”.

Mais um motivo significativo da multidisciplinaridade, entre os tantos enfatizados na Neuroevidência, são as terapias não medicamentosas de retorno a saúde, como por exemplo a osteopatia. Trata-se de um método eficaz no combate a dor crônica e outras patologias. O Dr. Sandro explica que essa é uma especialidade que busca identificar as restrições do corpo humano e liberar essas restrições para aliviar a dor e tratar disfunções, e ainda melhorar os sintomas das patologias que o paciente possui. O tratamento é individual e leva em consideração os sintomas, as patologias e a própria avaliação dos tecidos do corpo.

Os profissionais da Neuroevidência também entendem que os tratamentos devem ser acompanhados por todos os especialistas responsáveis pelo paciente, levando em consideração a evolução do quadro clínico e propondo alternativas que além de proporcionarem o retorno à saúde, mantenham o bem estar do ser humano.

Para mais informações acesse www.relicarioesaude.com.br