As dores de uma vida solitária

Estudo conduzido pela Harvard University apontou que uma vida saudável e feliz independe da quantidade de dinheiro acumulado, do poder conquistado ou das incontáveis horas de produção no trabalho

Durante mais de 75 anos de trabalho, um grupo de pesquisadores da Harvard University acompanhou a vida de 724 homens com o intuito de descobrir quais são os fatores que influenciam numa vida saudável e feliz. O estudo foi dividido em dois grupos antagônicos de indivíduos, o primeiro deles mais abonado, eram alunos da própria universidade enquanto o segundo grupo eram adolescentes de famílias problemáticas, menos favorecidas, sem água quente ou fria e sem luz, da periferia de Boston. Durante todo esse tempo, anualmente ou de 2 em 2 anos, foram realizados exames médicos periódicos, estudos radiológicos, entrevistas com seus médicos assistentes, enviado um questionário com perguntas sobre como percebiam sua saúde, seu trabalho e suas famílias além de entrevistas com familiares.

Ao longo desse processo, os indivíduos estudados tornaram-se advogados, professores, pedreiros e até mesmo, em um caso, presidente dos Estados Unidos da América. Tiveram problemas de alcoolismo, obesidade, Esquizofrenia e outras doenças. Entretanto, os resultados do estudo apontaram uma verdade muito além do sucesso profissional, da fama, da taxa de colesterol ou níveis da pressão arterial. Os senhores que tiveram o melhor padrão de vida, independentemente das riquezas materiais conquistadas, foram aqueles que mantiveram boas e saudáveis relações com outros seres humanos.

Portanto, o fator mais importante para existir uma vida feliz e saudável é o relacionamento interpessoal. O mesmo estudo apontou que as pessoas que vivem solitárias, além de infelizes também tem sua capacidade funcional cerebral degradada mais cedo e muito provavelmente sofrerão com problemas de memória, quando idosas. Logo relacionamento estáveis e bons protegem nossos cérebros.

As relações íntimas e boas em família, com amigos e comunidade são fundamentais para nossa vida saudável assim como a solidão não programada é prejudicial para nossas vidas facilitando a magnificação dos processos dolorosos orgânicos ou emocionais.

Aqui na Neuroevidência estamos atentos também aos fatores que podem influenciar no sofrimento dos nossos pacientes e acreditamos que as dores, assim como qualquer sintoma, são alertas para possíveis doenças. Sem nunca esquecer que o mais importante nas nossas vidas é alimentar e conservar as boas e saudáveis amizades, ainda sabendo que relacionamentos são complicados e também difíceis de manter porque somos seres humanos em aperfeiçoamento constante.

 

A multidisciplinaridade aplicada à saúde

A iniciativa convoca especialistas de diversas áreas para encontrar novos formatos de atender as pessoas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) foi criada no dia 7 de abril de 1948, na Suíça, e tem como principal objetivo desenvolver ao máximo possível o nível de saúde de todos os povos. De acordo com a constituição da OMS, a saúde não é apenas um estado de completo bem-estar físico. Deve-se prestar atenção à sanidade mental, social e inclusive espiritual. Deste modo, a ausência de enfermidades ou doenças não é o bastante. Para esta reconhecida instituição mundial, todo o ser humano, independentemente de classe, cor, religião, condição econômica e social deve gozar do melhor estado de saúde para, assim, buscar a paz e a segurança.
Apesar dos conceitos da OMS, a população mundial tende a confundir saúde com doença. A prevenção e os cuidados com o corpo e a mente não são usuais em nossas sociedades. Conforme apontam dados do Ministério da Saúde, a população ativa brasileira tem um índice de obesidade que gira em torno de 20%, quase metade é sedentária e mais de 12% possuí alguma doença psíquica. Portanto, torna-se fundamental atualizar estes conceitos, uma vez que consideramos resolvido a concepção do corpo como palco do desequilíbrio entre saúde e doença.
A revolução do conhecimento faz a sociedade evoluir num processo contínuo pela procura da saúde, porém, é impossível creditar a apenas uma especialidade profissional toda essa responsabilidade. Assim, a multidisciplinaridade está conquistando um espaço cada vez mais importante – ocorrendo de modo conjunto, formando equipes de diversas especialidades para o tratamento do indivíduo. A Neuroevidência faz parte de um grupo multidisciplinar especializado que se preocupa com o bem-estar do paciente, desenvolvendo, dentro da sua especialidade, diagnósticos e tratamentos comprovadamente eficientes. Acesse www.neuroevidencia.com.br e saiba mais.