Eletroneuromiografia: o que esperar deste exame.

O que é a Eletroneuromiografia:

A eletroneuromiografia é um exame realizado para mostrar, através de gráficos e números, como está o funcionamento das fibras nervosas que comandam a motricidade, a sensibilidade e a integração dos músculos com os nervos do seu organismo. Ou seja, este estudo mostra o funcionamento integrado do sistema nervoso periférico – do tronco cerebral e medula para fora.

Este exame é requisitado quando há algum problema em qualquer segmento do corpo – músculo, nervo ou na união deles – ou, mais raramente, em todo o corpo. Seu médico pode, através da entrevista e exame físico, solicitar este estudo sendo ele dos membros superiores, membros inferiores, face ou todos. Isto depende daquilo que estás sentindo e também se é possível detectar neste exame.

Como funciona:

A evolução da eletroneuromiografia consta de uma breve entrevista direcionada a queixa do paciente e ao pedido do médico assistente. Logo após faremos breve exame físico e na sequência o paciente deita-se na maca localizada ao lado do equipamento que realizará o estudo. Inicialmente, com eletrodos colocados na superfície da pele, o especialista vai executar suaves estímulos elétricos e os eletrodos vão captar as respostas. Estes são para examinar a sensibilidade.

Logo após, outros estímulos pouco mais intensos, examinarão as fibras da motricidade. Estes testes são rápidos, duram em média quinze minutos e logo o músculo é examinado com outro tipo de eletrodo, ou seja, de inserção. São instrumentos muito delicados que penetram no músculo para registrar informações e assim detalhar mais como estão as fibras da motricidade. Agora o exame é mais rápido. O médico vai concluir o estudo escrevendo o laudo e entregando o resultado em cerca de dez minutos após o término do estudo.

Quem aplica o exame:

A eletroneuromiografia é raramente realizada com caráter de urgência. Ao contrário, mais exato é o resultado se realizamos o exame duas ou três semanas após iniciado os sintomas. Os médicos que realizam o este exame são especialistas como neurologistas ou fisiatras que fazem uma segunda especialização em neurofisiologia clínica.

Para mais informações entre em contato conosco

13 de outubro: Dia Nacional do Fisioterapeuta

Nessa data a Neuroevidência parabeniza todos os profissionais em fisioterapia e exemplifica a importância deste especialista

No dia 13 de outubro de 1969 foi aprovado o decreto de Lei Nacional Brasileira nº 938, responsável pela regulamentação dos direitos do profissional de fisioterapia. Conforme o próprio artigo 3º da lei, o profissional de nível superior é responsável por “executar métodos e técnicas fisioterápicos com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do ciente”.

No longínquo ano de 1969, o decreto de lei trouxe um grau de responsabilidade exclusivo para os fisioterapeutas no intuito de qualificar a profissão. Entretanto, com o passar dos anos a saúde do ser humano se mostra cada vez mais interdependente da ação conjunta de diferentes especialidades na busca pelo bem estar do ser humano. Conforme o fisioterapeuta Sandro Groisman, da clínica Relicário, a parceria entre médico e fisioterapeuta é fundamental desde o diagnóstico até o tratamento do paciente. “É uma prática nova que significa mais do que encaminhar um paciente, o trabalho é feito em parceria, é muito vantajoso e traz benefícios para o paciente e para os profissionais que se envolvem no tratamento.  Não tem mais espaço para especialidades desconectadas, o ser humano é um sistema de várias funções”.

Mais um motivo significativo da multidisciplinaridade, entre os tantos enfatizados na Neuroevidência, são as terapias não medicamentosas de retorno a saúde, como por exemplo a osteopatia. Trata-se de um método eficaz no combate a dor crônica e outras patologias. O Dr. Sandro explica que essa é uma especialidade que busca identificar as restrições do corpo humano e liberar essas restrições para aliviar a dor e tratar disfunções, e ainda melhorar os sintomas das patologias que o paciente possui. O tratamento é individual e leva em consideração os sintomas, as patologias e a própria avaliação dos tecidos do corpo.

Os profissionais da Neuroevidência também entendem que os tratamentos devem ser acompanhados por todos os especialistas responsáveis pelo paciente, levando em consideração a evolução do quadro clínico e propondo alternativas que além de proporcionarem o retorno à saúde, mantenham o bem estar do ser humano.

Para mais informações acesse www.relicarioesaude.com.br

A Dor pode ser a Ponta de um Iceberg

A Neuroevidência convida para uma breve reflexão do conceito saúde

A idéia de saúde em nossa sociedade está depositada sob o formato de um corpo livre de doenças aparentes, sendo o médico o principal agente perpetuador  desse processo. Entretanto, segundo a própria Organização Mundial de Saúde (OMS), este não é o conceito real de um ser humano saudável. Para que o indivíduo seja considerado plenamente saudável é necessário que o mesmo esteja em harmonia consigo e com meio que o cerca.

Pensando em traduzir o conceito de saúde em algo mais mensurável, a mesma OMS criou um instrumento (WHOQOL- 100) que traduz o estado de qualidade de vida do ser humano – meio que o cerca – baseado em seis domínios: O primeiro, é o físico, que abrange num plano inicial a dor e o desconforto. Em seguida o domínio psicológico; logo o domínio do nível de independência do indivíduo; em quarto lugar o domínio das relações sociais do indivíduo; em quinto o domínio dos ambientes que este ser humano participa; e por fim os aspectos espirituais, como religião e crenças pessoais. Somente a perfeita harmonia entre esses domínios resulta na saúde plena, um retrato de difícil concepção se levarmos em consideração o mundo que vivemos.

Sendo assim é possível constatar que, segundo a própria OMS, a dor também pode ser uma manifestação de alguma falha na harmonia entre os domínios sugeridos. De qualquer forma é imprescindível diagnosticar essa dor para entender o verdadeiro causador do problema. O diagnóstico é o porquê da existência da Neuroevidência. Desde sua origem ela foca sua atividade no auxílio à contribuir para o diagnóstico. Possuidor desta valiosa informação nossos profissionais e colaboradores investem sua melhor experiência para auxiliar no retorno à saúde através de tratamentos personalizados e assumidos inter e multidisciplinarmente.